0

Projeto: Piolho na minha cabeça não...

             Projeto: Piolho na minha cabeça não...









PROBLEMÁTICA:


Devido ao elevado índice de infestação do parasita (PIOLHO) na unidade de ensino.

Justificativa: A infestação de piolhos em meio a um aglomerado de crianças é um sério problema enfrentado pela maioria das Instituições Educacionais.
Vários fatores contribuem para que os piolhos apareçam e se instalem nas cabeças das crianças, infestando rapidamente a todos, inclusive atingindo a Equipe de profissionais.
Todavia, um tratamento educativo visando à conscientização das crianças e de toda a Comunidade Escolar, pode contribuir para a diminuição ou extinção de piolhos em diversos ambientes.

Objetivo Geral:
· Eliminar as infestações de piolhos na Instituição através do uso de xampu a base de ervas medicinais e conscientização sobre o assunto.


Objetivos Específicos:
- Conhecer o piolho, identificando-o entre outros insetos;
- Conhecer seus hábitos e como ocorre sua infestação;
-Entender os prejuízos causados a uma pessoa contaminada por piolhos; Compreender os processos de transmissão e combate aos piolhos;
- Identificar e combater a contaminação.
- Pesquisar tipos de ervas medicinais que podem combater parasitas como os piolhos.
- Cultivar e as ervas medicinais na horta escolar.
- Produzir xampus a base de ervas medicinais para o combate a lêndeas e piolhos.

Conteúdos:
Diferentes tipos de gêneros textuais e trabalho de artes (desenhos, dramatizações etc.).

Disciplinas envolvidas: Língua portuguesa, artes ciências e prog. de saúde.

METODOLOGIA E ENCAMINHAMENTO DO TRABALHO
-Informar as famílias sobre o projeto;
- Apresentar um piolho “verdadeiro” às crianças;
-Trazer informações sobre este parasita e conversar sobre este assunto com a turma;
-Promover e estimular os cuidados diários;
-Criar histórias, poemas, músicas e dramatizações abordando o tema e apresentá-los à turma;
-Explorar a cor deste parasita e a mudança de cor decorrente da coloração dos cabelos em que eles se encontram;
-Criar um piolho de formas geométricas: círculo etc.
-Enviar receita de Xampu caseiro para as residências das crianças;
-Explorar a receita do Xampu caseiro;
-Desenhar e enfeitar piolhos utilizando as técnicas de mosaico, papel rasgado, bolinhas de papel, pintura a dedo ou com o pincel.
-Confeccionar piolhos com a massa de modelar;
-Promover uma exposição das atividades das crianças;
-Quebra-cabeças com o desenho do piolho e com a palavra;
-Improvisar brincadeiras ou adequar as já conhecidas, ao projeto;
-Elaborar uma dramatização com a participação das crianças como teatro de fantoches e convidar a comunidade educativa para assisti-la.

Recursos a serem utilizados:
Internet, computador, vídeos;
Plantas medicinais e barra de sabão de coco e/ou sabonete;
Colher de pau, caldeirão, fogão, etc.

Registro do processo:
Acontecerá através dos relatórios das educadoras e relatos de todos os agentes envolvidos

Avaliação da aprendizagem:
Acontecerá durante todo o processo, sendo analisados os registros das crianças e a mudança de comportamento das mesmas.

Divulgação/ socialização do projeto:

Um mural anunciando o projeto e folders ou outros materiais informativos deverão acompanhar o desenvolvimento deste projeto




“A criatividade deve fazer parte do cotidiano do educador”,
Transformando, criando e recriando este profissional se revela.
E consegue melhorar sua prática pedagógica e fazendo acontecer o processo ensino-aprendizagem.








ATIVIDADES














































































 Fonte:http://alfaparis.blogspot.com.br/
            http://www.pragentemiuda.org/ 
            http://meustrabalhospedagogicos.blogspot.com.br  
            http://meustrabalhospedagogicos.blogspot.com.br      

Referências Bibliográficas
http://www.piolho.fiocruz.br/
http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/alfazema/alfazema.php
http://laboratoriodeciencias.pbworks.com/Xampu+Anti-piolho
http://www.nitropharma.com/pente_aya.htm
http://super.abril.com.br/superarquivo/2000/conteudo_118448.shtml
http://cienciahoje.uol.com.br/view/2010)
A Cura pelas Ervas e Plantas Medicinais Brasileiras - Ricardo Lainetti e Nei R. Seabra de Britto - Editora Ediouro. 1979.
Plantas que Curam - Cheiro de Mato. Sylvio Panizza - IBRASA. 1997.



                                                                                        

0 comentários:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...